TERRORISMO NA FRANÇA

Terrorismo ataca Paris e deixa mais de 40 mortos


Um atentado terrorista foi cometido na noite desta sexta-feira (13) na cidade de Paris por pessoas não identificadas, tendo deixado até o momento mais de 40 mortos. Uma forte explosão foi ouvida dentro do Estádio da França, onde a seleção local jogava um amistoso contra a Alemanha. O premiê francês, François Hollande, estava no local e em seguida dirigiu-se à sede do governo, onde fez um comunicado.


Nos arredores do estádio também se registaram duas explosões e há relatos de um ferido. Ao mesmo tempo, a polícia revelou que há reféns na sala de espetáculos Bataclan, no XI bairro de Paris, na avenida Voltaire (A capital francesa está dividida em 20 bairros.

Os terroristas que atacaram o Bataclan dispararam com o rosto descoberto durante vários minutos contra o público que assistia a um concerto, tendo inclusive recarregado as armas, relatou um jornalista que estava no local.

O diário francês Libération reproduziu no seu site na internet o testemunho de Julien Pearce, jornalista da Europe 1, que estava no Bataclan quando começou o tiroteio.

"Vários indivíduos armados entraram no concerto e dois ou três de rosto descoberto começaram a disparar com armas automáticas de tipo Kalachnikov [rifle de assalto semi ou totalmente automático de fabricação russa conhecido como AK-47] ao acaso sobre a multidão", relatou.

Julien Pearce estima que o ataque tenha durado "entre 10 e 15 minutos", destacando que "foi extremamente violento e houve pânico". Ele detalhou ainda que "os terroristas tiveram tempo de recarregar as armas pelo menos por três vezes", que "não estavam mascarados, estavam senhores de si e eram muito jovens".

Hollande fecha as fronteiras

Na sede do governo françês, Hollande fez um pronunciamento. "Ninguém ponderá entrar para cometer qualquer ato contra a França", disse Hollande, anunciando o fechamento das fronteiras do Estado.

O objetivo, explicou, é também impedir que os autores dos crimes saiam do território. "É uma provação terrível que nos acomete. Sabemos de onde vêm, quem são esses terroristas, esses criminosos".

Hollande expressou sua compaixão às famílias dos mortos e dos feridos. Ele ressaltou, ainda, que este é o momento da França mostrar "unidade e sangue frio frente o terror".

"A França deve ser forte, deve ser grande. E as autoridades devem ser duras. E seremos", garantiu.

Hollande também disse que as forças de segurança atacaram objetivos em Paris, sem divulgar o local onde estariam atuando. "Eu peço agora que vocês mantenham a confiança em tudo o que podemos fazer com as forças de segurança para preservar a nação dos atos terroristas".


Do Portal Vermelho, com agências

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

IMAGENS E VIDEOS DOS TSUNAMIS (MAREMOTOS) QUE ASSUSTARAM O MUNDO

NAAMÃ E O VALOR EM REAIS DE SEU PRESENTE PARA ELISEU

Curiosidades sobre Otavio César Augusto