Serie ‘FÉ’ explica sobre as diversas religiões existentes no mundo



A 'Fé' será tema de uma série de reportagens que começou a ser exibida pela TV Tem nesta segunda-feira (31).
Produzidas pela TV Tem Itapetininga, emissora afiliada da Rede Globo, em parceria com as emissoras da TV Tem em Bauru, Rio Preto e Sorocaba, as reportagens tratam de diversos temas ligados à fé. Entre eles, cura, ciência, mercado, manifestações e história das religiões.
Na primeira reportagem, nesta segunda-feira, a abordagem foi sobre as diversas religiões existentes no mundo, histórias que se iniciaram no século XV antes de Cristo, quando surgiu a humanidade e o homem se rende à necessidade de acreditar em algo. Com as mudanças do planeta o homem se espalha por terras estranhas. Surgem tribos e crenças e o homem passa a acreditar em divindades.
No século V antes de cristo surge o monoteísmo e a fé se volta para um único deus. É o início do judaísmo, do islamismo e do cristianismo. As religiões são diferentes, mas segundo o teólogo Deuber Calaça, elas têm a mesma raiz. “O Deus de Israel, o Deus dos hebreus, da região Judaica, Javé, é o mesmo Deus do cristianismo, pai de Jesus Cristo, que toda a cristandade crê. E dentro do islamismo, é o mesmo Deus de Israel, mas com o nome de Alá. A religião seria a volta a essa relação Deus e Homem, Homem e Deus”, comenta.
Segundo o filósofo Luiz Felipe Ponde, cada religião apresenta uma crença ou filosofia. Mesmo não sendo iguais, compartilham uma característica: acreditam no sobrenatural, forças que não vemos, mas que controlam as nossas vidas. “Aparentemente, a maior parte da humanidade é religiosa. Religiosa no sentido de que tem fé, acredita em um conjunto de coisas. Parece estar preocupada em criar um condicionamento na vida das pessoas, no sentido de você agir de tal forma e com isso dar significado para a sua vida”, ressalta.
No catolicismo, as missas levam símbolos que retratam passagens da vida de Jesus Cristo (Foto: Fábio Campos / TV Tem)
No catolicismo, as missas levam símbolos que
retratam passagens da vida de Jesus Cristo.
(Foto: Fábio Campos / TV Tem)
Ainda segundo os especialistas, as religiões nos oferecem respostas confortáveis para as perguntas intrigantes como ‘o que acontece após a morte’ ou ‘como o mundo começou’. Nesse caso do surgimento da humanidade na tradição judaico-cristã, o livro de Gênesis, na Bíblia é a referência com referência em Adão e Eva.
No caso do budismo, vem a descoberta de uma força interior que interage com o universo e reforça no homem a validade de um sistema religioso. Isso é observado também no islamismo. O profeta Maomé recebeu a revelação do alcorão de Deus,  chamado de Alá.
Para Ponde, religiões são maneiras diferentes das pessoas seguirem o que acreditam. Mas a crença não basta. Quem não escolheu nenhuma delas pode sim ter fé. “Sabe uma pessoa que acorda de manhã feliz? Você olha e diz: "Essa é uma pessoa que de fé".  Então, a expressão fé não está necessariamente  está  à religião. São duas questões que se cruzam.
Religiões no Brasil
Em um país tão grande e de tantas diversidades, as religiões ganham um significado muito importante. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, os católicos são maioria no Brasil, representando aproximadamente 64,6% da população. Os evangélicos representam 22,2%.

O espiritismo vem em terceiro lugar com 2% da população. As religiões africanas como a umbanda e o candomblé, representam 0,3%.
O senso 2010 registrou um aumento de pessoas que se dizem sem religião. Entre os anos de 2002 e 2010, passaram de 12,5 milhões e meio para mais de 15 milhões, o que representa 8% da população.
Judaísmo
O judaísmo é uma das principais religiões do mundo e também uma das mais antigas. Segundo Vanderlei Martinez, o presidente do Centro Cultural Brasil Israel, que tem sede emSorocaba, Javé é o criador do universo e o Messias ainda está por vir. Os cultos são realizados em sinagogas. “Nós podemos traduzir com a aliança que Noé, Abraão e Moisés fizeram com Deus, e edificaram o que nós chamamos de Tora. São 613 mandamentos que o judeu desde seguir em seu dia a dia”, explica.

Ele ressalta que os judeus têm como princípios as leis de Deus como ‘amar o próximo’, ‘não matarás’, ‘guardará e santificará o sábado. No mundo existem 13,5 milhões de judeus. 5,5 milhões vivem em Israel e outros 5,5 milhões nos EUA. O restante está distribuído em mais 88 países.
Cristianismo
O cristianismo está fundamentado na vinda do Messias, o filho de Deus: Jesus Cristo. Esse mesmo cristianismo tem segmentações diferentes como os evangélicos e católicos.

No catolicismo, as missas levam símbolos que tratam passagens da vida de Jesus Cristo. Sobre o altar, elementos presentes na última ceia de Jesus com os apóstolos. Pão e vinho que, na missa,  depois de consagrados representam o corpo e sangue. De acordo com o bispo de Itapetininga, Dom Gorgônio da Encarnação, a fé nos abre para deus e nos faz comprometidos com os nossos irmãos e irmão no amor”, diz.
O padre Marcelo Rossi explica que no catolicismo, a fé está em Deus. ‘É você crer, mesmo sem ver”, diz.
Os católicos acreditam na intercessão dos santos junto à Deus. Maria, a mãe de Jesus, também ganha nomes diferentes, de acordo com o lugar onde ela apareceu. No Vale do Paraíba (SP), pescadores encontraram a imagem de uma mulher negra e ela é chamada de Nossa Senhora Aparecida.
Nos cultos evangélicos, os templos não recebem adornos como santos e cruzes. A base é a crença em um Deus, que criou o mundo e em Jesus Cristo que morreu na cruz para salvar os pecadores. Nasceu de uma reação contra as crenças e práticas da igreja católica. O movimento, no início chamado de protestantismo, foi fundado por Martinho  Lutero, na Europa, no século XVI.
De acordo com o pastor Jabes de Alencar, ser evangélico é dar continuidade às boas notícias que Jesus trouxe. A palavra evangelho é uma transliteração do grego que quer dizer boas novas. “Jesus veio para trazer ao mundo boas novas”, diz.
Os evangélicos acreditam que a fé, é o que move todas as coisas, transforma, cura e realiza coisas impossíveis. Para a cantora evangélica Ana Paula Valadão, a fé é mais do que acreditar. “É ter certeza porque a Bíblia diz que a fé é a certeza das coisas que se esperam.  É a convicção daquilo que a gente não pode ver, mas eu creio. Mesmo sem enxergar. É um doente que acredita na cura, mesmo quando o corpo ainda tem sintomas de enfermidade”, comenta.
Islamismo
Islamismo é a religião pregada pelo profeta Maomé, nascido no ano 571. O livro sagrado é o Alcorão.  A religião muçulmana tem crescido nos últimos anos. Atualmente é a segunda maior do mundo e está presente em todos os continentes. No entanto, a maior parte de seguidores do islamismo encontra-se nos países árabes do oriente médio e do norte da áfrica. Os muçulmanos acreditam em um único Deus, Alá. “Ele é criador do céu e da terra e de tudo  o que há entre elas. Então essa fé é necessária que não há outra divindade, que não há outro adorado senão ele. Não posso curvar diante de ninguém. A onipotência e grandeza pertencem a esse Deus”, ressalta o xeique Hamad Amin El Orra.

Em Jundiaí (SP), existe uma mesquita, templo usado pelos religiosos. O chão do templo é considerado sagrado pelos seguidores do islamismo, por isso, todos que chegam precisam descalçar os pés.
Espiritismo
Em Uberaba (MG) fica o centro espírita onde religioso Chico Xavier recebia mensagens dos mortos. O espiritismo, religião que acredita em reencarnação e nos espíritos,  foi amplamente divulgado pelo mineiro Xavier. O trabalho dele, que pregava a caridade, tem continuidade por seus seguidores. Na casa onde os fiéis se reúnem para os estudos do evangelho segundo o espiritismo, a simplicidade é a principal característica.

Por 27 anos, Chico Xavier frequentou o grupo espírita da prece, fundado por ele. A cadeira usada continua no mesmo local, mas depois da morte do religiosos, nada mais foi psicografado aqui. “A vida dele era uma dedicação incrível de demonstração de fé constante. Fé em deus, fé nas pessoas, amor aos animais, que transubstanciava na fé que ele vivia. A vida dele era um dicionário aberto de fé”, diz a devota Sônia Benaventana.
Para a seguidora Sonia Maria Barsanti Santos, o espiritismo é uma religião, uma ciência e uma filosofia. Ela foi codificada por Allan Kardec no século XIX, quando ele faz o lançamento do primeiro livros espírita do mundo, o Livro dos Espíritos, em 18 de abril de 1857. Alan Kardec não é fundador, não é inventor, ele é codificador, porque o espiritismo estuda o que já existe na natureza”, destaca Santos.
Santo Daime
Em Sorocaba (SP), fiéis da doutrina Santo Daime se reúnem duas vezes por mês, à noite, para fazer orações. A religião é genuinamente brasileira e surgiu na floresta nas primeiras décadas do século passado, fundada por um neto de escravos. Nos encontros, os seguidores usam roupas especiais .

Uma das características da religião é o chá ayahuasca, tradicional nas tribos indígenas, é de origem amazônica e possui propriedades que alteram a percepção. Para o preparo do chá, existe um ritual desde a colheita. A planta é colhida por mulheres que, com a calma feminina e contos, recolhem as folha. As plantas vão para o fogo e as forças se juntam na fervura do grande caldeirão.
A cerimônia para beber o chá é um dos mais importantes do encontro. Conhecido como ‘vinho da almas’, a bebida, segundo os fiéis, que permite o encontro com a luz, o encontro com Deus. “Deus para algumas pessoas é isso: você acredita que existe, mas cadê? Aqui eles não tomam apenas o chá. Além de tomar, é feito um trabalho de correção espiritual. Já não é mais só fé, é certeza da existência de Deus”, diz Luciano Dini, padrinho do Santo Daime.
Umbanda no Brasil

A umbanda é uma religião tipicamente africana. Durante o período de escravidão, os negros trouxeram as crenças para o Brasil, mas aqui foram proibidos de adorar os deuses cultuados na África. Foi aí que surgiu o sincretismo religioso.
De acordo com Célio César Rosa Engue, seguidor da religião, o negro como ele foi obrigado a se converter ao catolicismo. “Com isso, ele pegou os santos católicos e ele fez uma ligação do santo católico com o orixá africano. Um dos exemplos maiores que nós temos é São Jorge Guerreiro, que dentro da tradição católica, foi feito o sincretismo com Ogum, que também é um orixá guerreiro. Então o negro ele pegou seus orixás africanos e fez o sincretismo com o santo católico e aí ele cultuava o seu orixá, mas o povo católico, o povo português acreditava que ele tava cultuando o santo católico”, comenta.
Ainda segundo especialistas em teologia, algumas religiões, como a umbanda , receberam influências das doutrinas difundidas por Kardec. As religiões com raízes africanas sofreram muito com a intolerância religiosa. Era a magia dos pobres e negros, mas a partir da década de 1960, o mundo passou por uma onda de contracultura. As pessoas começaram a procurar ritos como este. Foi aí que as coisas começaram a mudar. “Fé é tudo. Sem fé você não vive. Eu tenho fé na água, eu tenho fé na mata, eu tenho fé nas pedras e eu tenho muita fé em Deus”, diz a mãe de Santos Neuza da Silva Reis.
Budismo
Da Ásia veio a filosofia budista, o conjunto de tradições a partir dos ensinamentos de Buddha. Segundo os seguidores, ele não inventou a doutrina, mas redescobriu verdades que já haviam sido ensinadas pelos seres iluminados das eras passadas. Atualmente, o budismo é a religião mais difundida na Ásia, onde conta com aproximadamente 300 milhões de adeptos.

No interior de São Paulo, um dos templos está no município de Cafelândia, considerados um dos mais bonitos do estado.
Segundo os budistas, Buda ficou indignado com a velhice e com o sofrimento, entre eles, o sofrimento do nascimento. Depois de uma certa idade, ele passou a meditar para ver o porquê do homem sofrer tanto e procurar um meio de amenizar essas dores.

FONTE: G1 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

IMAGENS E VIDEOS DOS TSUNAMIS (MAREMOTOS) QUE ASSUSTARAM O MUNDO

NAAMÃ E O VALOR EM REAIS DE SEU PRESENTE PARA ELISEU

GUERRA NA LÍBIA: IMAGENS E VÍDEOS FALAM POR SI