Pôncio Pilatos, Culpado ou Inocente?


Pôncio Pilatos Culpado ou Inocente?

                              Os 04 Evangelistas narram a situação complicada de Pilatos diante de Cristo Jesus, o que divide a opinião de alguns acerca de Pilatos, alguns crêem que Pilatos em suas tentativas de poupar o Cristo, é inocente, enquanto outros consideram Pilatos como um dos culpados da Crucificação e morte de Cristo. Na verdade quem está com a razão leia a postagem e tire suas conclusões. 
                           Para que voce tire suas conclusões é necessário acompanhar o comportamento de Pôncio Pilatos no Novo Testamento e o ponto de vista de outros Personagem Bíblico sobre Pilatos, neste caso vamos começar com Mateus. 
                          Estava diante de Pilato um Homem inocente, notório de todos, conhecido por Boas Obras e por sinais e prodígios. Pilatos sabia que os principais sacerdotes levaram Jesus até ele por inveja,(Mt. 27:18) e não porque ele se proclamara Rei dos Judeus, pois os judeus queriam um Rei para liberta-lo, e não se preocupava se alguém se revoltasse contra o Império.
                          O Problema é que o Enigmatico Jesus nada dizia em sua defesa, será que se dissesse alguma coisa adiantaria? Possivelmente não, Pilatos não resistia as pressões, nem possuía punho forte para tomar decisões sozinho. 
                         A Mulher de Pilatos foi sábia e aconselhou ao marido:
 "Não te envolvas na questão desse justo, porque muito sofri hoje em sonho por causa dele."(Mt. 27:19) 
Se Pilatos ouvisse sua mulher a História seria outra, pois sua mulher já estava sofrendo por Jesus ainda em vida. Pilatos começa um interrogatório: 

Mt. 27:11 Jesus, pois, ficou em pé diante do governador; e este lhe perguntou: 
És tu o rei dos judeus? Respondeu-lhe Jesus: É como dizes.


Jesus estava afirmando que tal declaração não era verdadeira.

Mt. 27: 12 Mas ao ser acusado pelos principais sacerdotes e pelos anciãos, nada respondeu.

13 Perguntou-lhe então Pilatos: Não ouves quantas coisas testificam contra ti?
14 E Jesus não lhe respondeu a uma pergunta sequer; 
de modo que o governador muito se admirava.

                              A Fala de Cristo não seria útil para inocenta-lo, os principais sacerdotes fariam de tudo para condena-lo. 
Mt. 27:15 Ora, por ocasião da festa costumava o governador soltar um preso, 
escolhendo o povo aquele que quisesse.
16 Nesse tempo tinham um preso notório, chamado Barrabás.
17 Portanto, estando o povo reunido, perguntou-lhe Pilatos: 
Qual quereis que vos solte? Barrabás, ou Jesus, chamado o Cristo?
18 Pois sabia que por inveja o haviam entregado.

19 E estando ele assentado no tribunal, sua mulher mandou dizer-lhe: 
Não te envolvas na questão desse justo, 
porque muito sofri hoje em sonho por causa dele.
20 Mas os principais sacerdotes e os anciãos persuadiram as multidões a que pedissem Barrabás e fizessem morrer Jesus.

O Evangelista Marcos


 Trás as perguntas pertinentes que Pilatos fez a multidão que não cala até hoje: 

Mc. 15: 12 ... "Que farei então daquele a quem chamais reis dos judeus?

13 Novamente clamaram eles: Crucifica-o!
14 Disse-lhes Pilatos: Mas que mal fez ele? Ao que eles clamaram ainda mais: Crucifica-o!
15 Então Pilatos, querendo satisfazer a multidão, soltou-lhe Barrabás;
 e tendo mandado açoitar a Jesus, o entregou para ser crucificado.

                                  O Evangelista Marcos relata ainda que Pôncio Pilatos ficou admirado com o fato de Jesus já haver morrido, antes dos demais crucificado com Ele. (Mc. 15:44) 

O Comportamento de Pilatos segundo o Evangelista Lucas:

   Lucas 23: 1 E levantando-se toda a multidão deles, 
conduziram Jesus a Pilatos.


2 E começaram a acusá-lo, dizendo: 
Achamos este homem pervertendo a nossa nação, 
proibindo dar o tributo a César, e dizendo ser ele mesmo Cristo, rei.
3 Pilatos, pois, perguntou-lhe:
 És tu o rei dos judeus? 
Respondeu-lhe Jesus: É como dizes.
4 Então disse Pilatos aos principais sacerdotes, e às multidões: 
Não acho culpa alguma neste homem.
5 Eles, porém, insistiam ainda mais, dizendo: 
Alvoroça o povo ensinando por toda a Judéia, 
começando desde a Galiléia até aqui.
6 Então Pilatos, ouvindo isso, perguntou se o homem era galileu;
7 e, quando soube que era da jurisdição de Herodes, remeteu-o a Herodes, 
que também naqueles dias estava em Jerusalém.

                                      A fim de livrar-se de culpa por condenar a morte um Inocente, Pilatos encaminho o Cristo para Herodes. 



AS acusações que os Principais Sacerdote fizeram: 

- Perverter a Nação
- Proibir pagar Impostos a Cesar
- Dizer ser o Cristo Rei
- Alvoroça o Povo com seus ensinos
- Um Agitador (Lc. 23:14,15)

As 


Sete Tentativas de Pôncio Pilatos para livrar Jesus

1ª Pede para o Sinedrio julgar o Cristo (Jo. 18:31) se Cristo fosse condenado a morte pelo Sinedrio seria enforcado conforme a Lei, ou apedrejamento. (Dt. 21:20,23) Assim a profecia não seria cumprida. 

2ª Envia Jesus para ser julgado por Herodes, sendo conhecedor das lei judaicas era mais indicado para julgar. 

3ª Soltar um preso por motivo de Festa, neste caso trouxe Barrabás  

4ª Deixou claro para o Multidão:Qual quereis que vos solte? Barrabás, ou Jesus, chamado o Cristo? 

5ª Questiona a Multidão: 
Mc. 15:11 Mas os principais sacerdotes incitaram a multidão a 
pedir que lhes soltasse antes a Barrabás.
12 E Pilatos, tornando a falar, perguntou-lhes: 
Que farei então daquele a quem chamais reis dos judeus?
13 Novamente clamaram eles: Crucifica-o!
14 Disse-lhes Pilatos: Mas que mal fez ele? Ao que eles clamaram ainda mais: Crucifica-o!

6ª Manda os soldados chicotear Jesus par que assim o povo se compadecesse dele e o livrasse (Jo. 19:32-34)

7ª Disse soltaria Jesus depois de açoita-lo, mas o principais sacerdotes o ameaçaram, de denuncia-lo ao Imperador, por poupar a vida de um Rebelde que ameaçava o Império, segundo eles. 

                                        Foram sete tentativas de um homem que possuía o poder de livrar o inocente apenas com uma palavra de Ordem. Na boca do governador Pôncio Pilatos estava a vida e a morte do Réu, independente da vontade de sacerdotes ou do povo.  


                                      Na Visão do apóstolo Pedro possível testemunha ocular do Julgamento de Cristo Pôncio Pilatos tentou inocentar Jesus. 


Atos 3: 12 Pedro, vendo isto, disse ao povo: Varões israelitas, por que vos admirais deste homem? Ou, por que fitais os olhos em nós, como se por nosso próprio poder ou piedade o tivéssemos feito andar?


13 O Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, o Deus de nossos pais, glorificou a seu Servo Jesus, a quem vós entregastes e perante a face de Pilatos negastes, quando este havia resolvido soltá-lo.

14 Mas vós negastes o Santo e Justo, e pedistes que se vos desse um homicida;
15 e matastes o Autor da vida, a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, do que nós somos testemunhas.




 Todavia o mesmo Pedro dá a seguinte declaração a qual não nos deixa sombras de duvidas:




Atos 4: 26 Levantaram-se os reis da terra, e as autoridades ajuntaram-se à uma, contra o Senhor e contra o seu Ungido.
27 Porque verdadeiramente se ajuntaram, nesta cidade, contra o teu santo Servo Jesus, ao qual ungiste, não só Herodes, mas também Pôncio Pilatos com os gentios e os povos de Israel;

Neste caso a culpa não somente de Pilatos, mas dividi-se com os povos de Israel, as Autoridades Civis e Militares, e com os gentios que somos nós. Assim como Pôncio Pilatos tem uma parcela considerável de culpa, nós também temos. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

IMAGENS E VIDEOS DOS TSUNAMIS (MAREMOTOS) QUE ASSUSTARAM O MUNDO

NAAMÃ E O VALOR EM REAIS DE SEU PRESENTE PARA ELISEU

Curiosidades sobre Otavio César Augusto